Central das Notícias
Notícias, vídeos e humores
closeDownload
Baixe agora!
share icon

Negritar artistas e ativistas em formação para empreendedores em música negra

ESHOJE

Os empreendedores capixabas em música negra terão a oportunidade de participar da formação gratuita nos próximos dias 26, 27, 28 e 29 de maio. As atividades do seminário “Negritar” acontecem de forma online e presencial em Vitória.

O projeto conta com apoio da Secretaria Estadual de Cultura do Espírito Santo através do Funcultura, e é realizado pelo artista e produtor musical Tunico. “Quem produz música negra fala de trajetórias, é porta-voz de seu povo e possui uma base intuitiva ligada a filosofia africana, que perpassa por questões de territórios chão, como os terreiros, escolas de samba, guetos e as periferias. O samba, o pagode, o rap, o funk, dentre outros são movimentos culturais que circulam nos territórios periféricos negros”, destacou o artista.

Segundo Tunico, ‘Negritar’ é preciso. “As plataformas streamings já possuem playlists com protagonismo negro e com abordagem antirracista na música. A música afro-brasileira é uma ferramenta indispensável na conscientização racial, é lanterna e lampejo numa sociedade que precisa ser antirracista urgentemente”.

Os objetivos do seminário são a difusão de novas práticas de gerenciamento de carreira com olhar atento às questões raciais, fomentar novos saberes para o mercado digital streaming de música, a democratização do acesso às novas práticas e técnicas de produção com a realização de intercâmbio com profissionais renomados no segmento do empreendedorismo musical negro brasileiro como o rapper e educador cultural Rappin Hood, os rappers e compositores Mulambo e Vinex, o produtor paulista Devasto da  Foco na Missão e Dec9 REC, a rapper Mary Jane da Melanina Mcs, a advogada e ativista Fayda Belo, a assessora e produtora  de carreiras de artistas negros, Nega Cleo da GRIOT Assessoria e Déborah Sathler da Atotô Produções.

A formação e qualificação de caráter educativo cultural visa atingir empreendedores musicais, artistas, agentes culturais e produtores que empreendem no setor da economia cultural criativa da música de origem afro-brasileira, nos segmentos de samba, pagode, rap, congo, gospel e funk, e outros gêneros musicais negros. A programação acontece no Canal do Youtube do artista Tunico e no estúdio Bizinoto no Bairro República, em Vitória. As vagas presenciais são limitadas e devem ser feitas pelo e-mail de contato [email protected]

Foto: Alexandre Bizinoto

Serviço:
Negritar Formação e Qualificação para Empreendedores em Música Negra
Gratuito
Online e Presencial
Datas: 26, 27, 28 e 29 de maio
Horário: 19 horas  

Programação
Abertura do Seminário Negritar de Formação e Qualificação para Empreendedores em Música Negra

Dia 26 de maio- quinta-feira
Horário: 19 horas
Canal do Youtube Tunico da Vila Oficial:
https://www.youtube.com/TunicodaVila2
Atividade Online: Palestra Performática online “Vozes Negras Importam: samba e rap nos territórios periféricos” com o artista Rappin Hood, “Empreendendo em Música Negra” com o produtor paulista Devasto e pocket show Negritar com o artista Tunico

Dia 27 de maio – sexta-feira
Horário: 19 horas
Canal do Youtube Tunico Oficial:
https://www.youtube.com/TunicodaVila2
Atividade Online: Workshop “Comunicação Antirracista e Afroempreendedorismo” com Nega Cleo da GRIOT Assessoria e pocket show com os rappers paulistas Vinex e Mulambo

Dia 28 de maio – sábado
Horário: 19 horas
Estúdio Bizinoto Rua Presidente Afonso Pena, 10, Bairro República
Atividade Presencial e pelo Google Meet: Palestras “Música Negra Neles” com a rapper Mary Jane do grupo Melanina Mcs e “Direito autoral e sociedade arrecadadora nas mídias digitais” com a advogada e ativista Fayda Belo

Dia 29 de maio- domingo
Horário: 19 horas
Estúdio Bizinoto Rua Presidente Afonso Pena, 10, Bairro República
Atividade Presencial e pelo Google Meet: Palestra “A origem da música negra brasileira” com o artista que possui vivência musical em países africanos, Tunico  “e Workshop “Cultura criativa, afetiva e inclusiva” com a produtora executiva da Atotô Produções, Déborah Sathler, professora e mestra em Culturas com ênfase em povos tradicionais.

Ver fontes Baixe!