Dados robustos de um novo estudo ligaram o abuso de maconha à incidência de doenças mentais, como a esquizofrenia. Um desses estudos foi realizado na Dinamarca e os pesquisadores analisaram os registros de saúde de mais de 7,2 milhões de pessoas e identificou uma correlação entre o uso indiscriminado de maconha e o desenvolvimento de esquizofrenia.

Os pesquisadores, porém, ponderam que a ligação entre o consumo da droga e condições neurológicas, como a esquizofrenia, se dá quando existe o transtorno por uso de cannabis, que é definido como uma forte dependência de maconha. Este tipo de transtorno se dá quando a dependência é tão grande que afeta outros aspectos da vida da pessoa, como o trabalho.

Limitações metodológicas

Pesquisadores ligam o fato de a droga ter ficado mais potente com a incidência de esquizofrenia em pessoas que abusam de maconha. Crédito: Arquivo Olhar Digital/Shutterstock

Embora o estudo tenha algumas limitações metodológicas, os pesquisadores classificam as descobertas como “alarmantes”. Segundo eles, isso demonstra que a maconha pode não ser uma droga tão segura quanto alguns de seus defensores dizem, pelo menos quando consumida em altas quantidades.

O tipo de pesquisa retroativa conduzida pelos cientistas pode não ser o melhor método para determinar uma relação de causalidade entre o abuso de maconha e a esquizofrenia. Outros fatores podem estar em jogo, como o desenvolvimento de mecanismos mais eficazes para a detecção desse transtorno ao mesmo tempo em que a erva é descriminalizada em vários lugares ao redor do mundo.

Estudos anteriores

No entanto, os pesquisadores defendem que há algum grau de causalidade entre os dois dados. Para defender essa tese, eles citam o aumento do uso de maconha na Dinamarca e como a erva tem ficado mais potente ao longo dos anos. Além disso, estudos anteriores sugerem que a cannabis potencializa alguns fatores de risco para a esquizofrenia.

Leia mais:

O pesquisador do Centro de Pesquisa de Copenhagen para a Saúde Mental e autor principal do estudo, Carsten Hjorthøj, acredita que suas descobertas precisarão ser replicadas em outros locais antes que conclusões possam ser tiradas. Porém, ele disse se sentir bastante confiante de que os resultados também serão encontrados em outros lugares onde o abuso de maconha aumentou.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!