Central das Notícias
Notícias, vídeos e humores
closeDownload
Baixe agora!
share icon

Celacantos vivem cinco vezes mais do que se imaginava

Uol

Antes considerados extintos, os celacantos de nadadeiras lobadas são enormes peixes ósseos que vivem nas profundezas do oceano. Eles têm nadadeiras lobadas e podem medir até 180 cm e pesar até 80 quilos. Geralmente, costumam ser de cor azul ou cinza azulada. Nesta quinta-feira (17), pesquisadores relataram à revista Current Biology que existem evidências de que, além de seu tamanho impressionante, os celacantos também podem viver por um tempo impressionantemente longo – talvez quase um século.

Celatanto, conhecido como peixe-fóssil, vive cinco vezes mais do que se imaginava. Imagem: Slowmotiongli – Istockphoto

De acordo com a publicação, o exemplar mais mais velho da espécie, observado pelos pesquisadores, tinha 84 anos. Eles também afirmam que os celacantos vivem têm o ciclo biológico muito lento, atingindo a maturidade por volta dos 55 anos e gestando seus filhos por cinco anos.

“Nossa descoberta mais importante é que a idade máxima do celacanto foi subestimada em cinco vezes”, disse Kélig Mahé, pesquisador do Instituto Francês de Pesquisa para a Exploração do Mar (IFREMER) e da Unidade de Pesquisa Pesqueira do Mar do Norte, em Boulogne-sur-mer, na França. “Nossa nova estimativa de idade nos permitiu reavaliar o crescimento corporal do celacanto, que passa a ser um dos mais lentos entre os peixes marinhos de tamanho semelhante, bem como outras características da história de vida, mostrando que o ciclo de vida do celacanto é, na verdade, um dos mais lentos de todos os peixes”.

Leia mais:

Estudos anteriores diziam que os celacantos viviam até 20 anos

Pesquisas anteriores mediram a idade dos celacantos observando diretamente os anéis de crescimento nas escamas de uma pequena amostra de 12 espécimes. Esses estudos levaram à noção de que eles não viviam mais de 20 anos. 

Se fosse esse o caso, os celacantos estariam entre os peixes de crescimento mais rápido, devido ao seu grande tamanho. Isso parecia surpreendente, considerando que outras características biológicas e ecológicas conhecidas do celacanto, incluindo metabolismo lento e baixa fecundidade, eram mais típicas de peixes com ciclos de vida e crescimento mais vagarosos, como a maioria das outras espécies de águas profundas.

No novo estudo, Mahé, junto com os coautores Bruno Ernande e Marc Herbin, examinaram 27 espécimes de celacantos do acervo do Museu Nacional de História Natural da França (Muséum National d’Histoire Naturelle de Paris, MNHN). Eles usaram novos métodos, incluindo microscopia de luz polarizada e tecnologia de interpretação de escala dominada no Centro de Esclerocronologia do IFREMER para estimar a idade e o crescimento corporal dos indivíduos com mais precisão do que antes.

Enquanto os estudos anteriores se baseavam em estruturas calcificadas mais facilmente visíveis, chamadas macro-circuli, as novas abordagens permitiram que os pesquisadores detectassem círculos muito menores e quase imperceptíveis nas escamas. 

“Demonstramos que essas circulações eram, na verdade, marcas de crescimento anual, ao passo que as macrocirculações observadas anteriormente não eram”, diz Mahé. “Isso significava que a longevidade máxima do celacanto é cinco vezes maior do que se pensava anteriormente, portanto, cerca de um século.”

Descobertas têm grande importância para a conservação e o futuro dos celacantos

Segundo a equipe, suas descobertas têm implicações para a conservação e o futuro do celacanto. Eles observam que o celacanto africano é avaliado como criticamente ameaçado de extinção na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza.

“Espécies de vida longa caracterizadas por um ciclo de vida lento e fecundidade relativamente baixa são conhecidas por serem extremamente vulneráveis ​​a perturbações naturais ou antrópicas, devido à sua taxa de substituição muito baixa”, disse Mahé. “Nossos resultados, portanto, sugerem que ele pode estar ainda mais ameaçado do que o esperado devido à sua história de vida peculiar. Consequentemente, essas novas informações sobre a biologia e o ciclo de vida dos celacantos são essenciais para a conservação e o manejo dessa espécie.”

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Ver fontes Baixe!