Central das Notícias
Notícias, vídeos e humores
closeDownload
Baixe agora!
share icon

Lojas facilitam e consumidores negociam para limpar o nome

Diário do Vale

Pessoas com restrição de crédito querem sair da inadimplência para fazer as compras de fim de ano com tranquilidade

 

Comerciantes querem facilitar o pagamento de dívidas antigas – Foto: Arquivo

Barra Mansa- Faltando menos de quatro meses para a chegada das festas de fim de ano, consumidores que estão com restrição de crédito por inadimplência estão numa verdadeira corrida para “limpar” o nome. O objetivo é entrar o mês de dezembro com o nome limpo e, dessa forma, fazer as compras de Natal com tranquilidade e sem preocupação.

Com a vantagem de terem os comerciantes a favor de facilitar o pagamento de dívidas antigas, muitos consumidores negativados pretendem ou já estão aproveitando as oportunidades oferecidas para negociar. Como é o caso da auxiliar de cozinha Michelle Souza, de 33 anos, que já parcelou suas dívidas em três lojas do comércio da cidade,

– Eu estava com três carnês atrasados, porque me enrolei e não consegui pagar. Estive nas lojas, conversei com os responsáveis e fiz um novo parcelamento dos carnês que vai até o dia 10 de dezembro. Minhas dívidas eram nas lojas que mais gosto de comprar e meu objetivo é chegar à véspera de Natal sem estar devendo nada, em nenhuma delas, para poder fazer novas compras. Passar dificuldades todo mundo passa, mas quando a gente quer ter o nome limpo a gente dá um jeitinho – disse Michele

A enfermeira, Lidiane Rocha, de 35 anos, é outra que também se esforçou para tirar o nome do SPC. Ela, que estava desempregada e voltou a trabalhar, recentemente, além de ter renegociado dívidas de crediário, em lojas da cidade, também aproveitou um desconto de oferecido pela Caixa Econômica Federal, para quitar o cartão de crédito que estava em débito há quase dois anos.

– Parece pouca coisa, mas estou muito feliz porque estou limpando o meu nome. Eu tive problemas de saúde, fiquei desempregada e me descontrolei, mas agora quero voltar a poder fazer compras onde quiser. O que mais me preocupava era o cartão de crédito, mas consegui um desconto à vista e de R$ 1.200, paguei apenas R$ 300, o que pra mim foi uma ótima oportunidade. Agora ainda faltam algumas prestações de crediário, mas em dezembro vai estar tudo certo e poderei fazer minhas compras com consciência tranquila, mas com cautela para não me endividar de novo – declarou a enfermeira.

Parcelar pode ser bom

Proprietário de uma loja de roupas e calçados no comércio de Barra Mansa, o empresário Paulo Sérgio Françoso de Ávila destacou a importância dos lojistas estarem abertos a negociar com o cliente. De acordo com Ávila, cerca de 20% dos seus clientes ainda fazem compras pelo crediário próprio e, por essa razão, já na próxima semana ele lançará a campanha de negociação para os que estiverem com dívidas atrasadas.

– Nós fazemos isso, porque, em sua maioria, são clientes bons e que passaram alguma dificuldade ao longo do ano. Com o pagamento da metade do 13º para aposentados, muitos automaticamente já aproveitam a oportunidade e, para facilitar pra todo mundo, aqui na loja nos parcelamos a dívida com um novo carnê ou no cartão de crédito e ainda tiramos todos os juros – explicou o empresário.

– Vamos negociar da melhor forma para o cliente, porque o importante é a loja receber esse valor em atraso. Isso também nos ajuda a conquistar e a fidelizar um cliente, a partir do momento em que ele entende que pode contar com a gente em um momento de dificuldades. Ou seja, ele se torna grato por termos facilitado os meios para quitar sua dívida e acaba se tornando fiel a nossa loja – finalizou o empresário.

Crediários e empréstimos

Conforme ressalta o presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Barra Mansa, Xisto Vieira Neto, hoje os crediários em lojas e os empréstimos são os principais causadores das dívidas e por conta disso diversas empresas procuram oferecer melhores condições para negociação. De acordo com ele, é muito importante que pessoa que esteja em débito procure o seu credor para negociar, principalmente se for o caso de lojas menores, que têm muito mais flexibilidade para abonar um juro, e facilitar o pagamento.

– Da mesma forma que a pessoa que está devendo quer colocar a vida em dia, a empresa não só quer receber a conta como, para ela, é muito importante que aquele cliente esteja de volta ao mercado, consumindo novamente. E nós já temos notado um aumento de pessoas procurando as empresas, renegociando suas dívidas e reorganizando suas vidas novamente – disse o presidente.

Quanto ao lojista, Xisto ressalta que a CDL de Barra Mansa vem orientando e motivando esse segmento para também buscar seus clientes e propor negociação.

– Ninguém quer ficar e permanecer com o crédito restrito. Por isso, uma vez que a pessoa se endividou, os acordos são a melhor maneira de regularizar a situação- acrescentou o presidente ao informar que além do lojista estar de portas abertas para renegociações, a CDL de Barra Mansa também está com seus atendentes à disposição para quem quer saber em que loja está com pendência e recuperar seu crédito

 

Ver fontes Baixe!