Central das Notícias
Notícias, vídeos e humores
closeDownload
Baixe agora!
share icon

Após dissolução do Parlamento, Israel vai às urnas pela 5ª vez em menos de quatro anos

Uol

Com 92 a favor e nenhum contra, decisão encerra o breve governo de um ano do primeiro-ministro Naftali Bennett; ministro das Relações Exteriores, Yair Lapid, assume até formação do próximo Executivo

REUTERS/Ronen Zvulun/Pool
Eleição em Israel
Israel dissolve Parlamento e população vai ter que voltar às urnas no dia 1º de novembro; Yair Lapid assume como primeiro-ministro interino

Israel vai às urnas pela quinta vez em menos de quatro anos. A decisão saiu nesta quinta-feira, 30, depois que os deputados dissolveram o Parlamento e encerraram o breve governo de um ano do primeiro-ministro , que liderou uma coalizão de oito partidos (direita, esquerda e centro), que incluiu pela primeira vez uma formação árabe, algo histórico em . A dissolução foi aprovada por 92 votos a favor e nenhum contrário, de um total de 120 cadeiras no Parlamento. Antes da votação, os deputados estabeleceram 1º de novembro com a data para as próximas legislativas.

O principal objetivo da coalizão era acabar com 12 anos ininterruptos de governo do direitista Benjamin Netanyahu, mas também formar um Executivo, algo que havia sido impossível após as três eleições anteriores. Bennett deixará o cargo à meia-noite para ser substituído por seu parceiro de coalizão, o ministro das Relações Exteriores, Yair Lapid, que liderará o governo durante o que deverá ser uma amarga batalha eleitoral contra o líder da oposição e ex-premiê Benjamin Netanyahu.

naftali bennett

Naftali Bennett deixa o cargo após um ano no poder │AHMAD GHARABLI / AFP

Bennett, ex-comandante do Exército e milionário da tecnologia, não concorrerá à eleição. Horas antes da dissolução do Parlamento ele informou que não iria se candidatar nas próximas eleições. Em um comunicado na noite de quarta-feira, ele disse que seu governo deixou um “país próspero, forte e seguro” e mostrou que partidos de diferentes extremidades do espectro político podem trabalhar juntos. Benjamin Netanyahu prometeu voltar ao poder à frente do partido de direita Likud, o qual as pesquisas de opinião mostram como o mais forte.

Antes da votação, o candidato que foi deposto há pouco mais de um ano pela improvável coalizão de partidos de direita e esquerda de Bennett, declarou: “Eles prometeram mudanças, falaram de cura, realizaram um experimento –e o experimento falhou”. “Isso é o que acontece quando você pega uma falsa direita junto com uma esquerda radical e mistura com a Irmandade Muçulmana e a Lista Conjunta (coligação árabe)”. Pesquisas apontam que o cenário político israelense continua muito fragmentado, com 13 partidos compartilhando as 120 cadeiras do Kneset.

parlamento israelense
Ver fontes Baixe!