Central das Notícias
Notícias, vídeos e humores
closeDownload
Baixe agora!
share icon

Espaçonave da NASA poderá ser arremessada contra lua de Júpiter

Canaltech

A espaçonave da NASA Europa Clipper, projetada para estudar uma das luas geladas de Júpiter, só será lançada em outubro de 2024. Mas seu destino ao final de sua missão, em 2033, já está sendo decidido aqui na Terra: ela poderá ser arremessada contra Ganimedes, a maior lua do planeta, e de todo sistema solar.

Originalmente, a espaçonave seria arremessada contra Júpiter, se desintegrando ao entrar na densa atmosfera do planeta. A escolha foi feita para evitar o risco de que ela se choque contra Europa e contamine a superfície da lua, que é coberta por um oceano sob por uma camada de gelo e considerada um dos principais candidatos à existência de vida extraterrestre em nosso sistema solar.

Ilustração do módulo de pouso da Europa Clipper, com Júpiter ao fundo. (Imagem: NASA)

Entretanto, arremessá-la contra Ganimedes é mais barato. “O alvo para o descarte… era Júpiter, mas se optarmos por Ganimedes ou Calisto como alternativa economizamos combustível, e será mais eficiente”, disse Bob Pappalardo, cientista da missão, durante um encontro do Outer Planets Assessment Group (OPAG) em 15 de junho.

Assim como Europa, Ganimedes também tem uma “crosta” de gelo cobrindo um oceano interior. Entretanto, segundo a Divisão de Proteção Planetária da NASA, a probabilidade de que a lua gigante abrigue vida é menor, devido à espessura dessa crosta e menor atividade geológica.

Ganimedes, lua de Júpiter, em imagem feita pela sonda Juno da NASA. (Imagem: NASA)

"Impactar Ganimedes em vez de Calisto — ou, nesse caso, Júpiter — tem o benefício adicional do potencial de ciência sinérgica com a JUICE", disse Pappalardo, referindo-se à missão Jupiter Icy Moons Explorer da Agência Espacial Europeia, que está programada para ser lançada em 2023. A missão estudará todas as três luas geladas de Júpiter, com Ganimedes como alvo principal.

“Se a missão JUICE ainda estiver em órbita de Ganimedes no momento do descarte da Clipper, há potencial para que seus instrumentos observem esse impacto, e aprenderemos sobre as propriedades de Ganimedes dessa maneira”, disse Pappalardo.

Ver fontes Baixe!