Provavelmente, isso já aconteceu com você: enquanto lia uma página de um livro ou mesmo de um artigo científico, você precisava ficar toda hora voltando ao início porque as palavras se embaralhavam na sua cabeça e as sentenças não faziam sentido. 

Pois é, isso acontece porque ler não é tarefa fácil. A prática envolve bem mais do que a decodificação de letras em palavras. É preciso ter atenção, saber rolar os olhos sobre as páginas de forma razoavelmente rápida e, claro, traduzir automaticamente o sentido daquelas frases na cabeça. 

E sabe o que contribui para tais habilidades? Os games. Sim, jogos de ação estão intimamente relacionados ao desenvolvimento da atenção, memória e flexibilidade cognitiva. Pensando nisso, pesquisadores da Universidade de Genebra, na Suíça, desenvolveram um game voltado ao público infantil que pudesse ajudar na leitura.

No jogo, os pequenos viajam em um universo alternativo ao lado de uma criatura voadora chamada Raku. Juntos, devem realizar diferentes missões para salvar o planeta e, claro, passar de nível. Diferente de outros jogos de ação, não há violência nessa história.

Para testar a eficácia do game, os pesquisadores acompanharam 150 crianças de uma escola italiana que tinham entre 8 e 12 anos. Elas foram divididas em dois grupos: o primeiro, que jogaria o game desenvolvido pelos cientistas, e o segundo, que foi exposto a um jogo que ensina programação.

Além disso, os pequenos também foram submetidos a testes de leitura e atenção. Eles jogaram duas horas por semana durante seis semanas, sob supervisão da escola. O estudo completo foi publicado na revista Nature.

Ao final, as crianças foram novamente testadas. De acordo com os pesquisadores, o controle de atenção dos voluntários que jogaram o game aumentou sete vezes em comparação ao grupo controle. Além disso, foi identificado um aprimoramento na leitura em termos de velocidade e também precisão. 

Os pesquisadores voltaram a testar as crianças 6, 12 e 18 meses depois. Em todas as vezes, as crianças que haviam jogado o game de ação se saíram melhor nos exames do que aquelas que estavam no grupo controle. Também foram relatadas melhorias significativas nas notas de italiano dos pequenos. 

Agora, a equipe planeja traduzir o game para os idiomas alemão, francês e inglês. A ideia é ver se os resultados serão mantidos mesmo quando envolver o aprendizado de outras línguas. Quem diria que o videogame pode realmente ajudar no rendimento escolar.