Na terça-feira (18), o Observatório Neil Gehrels Swift, da Nasa, um telescópio espacial de caça a raios gama, interrompeu temporariamente suas observações científicas, entrando em modo de segurança. De acordo com a agência, a manobra foi necessária em resposta a uma falha na roda de reação, que a equipe da missão continua a investigar.

Uma representação artística da nave espacial Swift com uma explosão de raios gama ao fundo. Imagem: Spectrum Astro – NASA

Originalmente chamado de Swift Gamma-Ray Burst Explorer (tendo sido renomeado para homenagear seu principal investigador, o cientista Neil Gehrels, que morreu em 2003), o observatório usa um total de seis rodas de reação para se dirigir de forma autônoma na direção de possíveis rajadas de raios gama (GRBs). 

Nasa diz que esta é a primeira falha do observatório em 17 anos

Quando o telescópio detectou o problema, desligou de forma autônoma a roda problemática. Segundo a Nasa, esta é a primeira falha de roda de reação nos 17 anos de operação do equipamento no espaço.

Enquanto os membros da equipe continuam trabalhando na tentativa de identificar o que pode ter causado a falha, eles divulgaram que esperam que os instrumentos científicos voltem a operar com apenas cinco rodas.

Swift foi lançado ao espaço em 2004, decolando em uma missão para estudar os raios gama, explosões incrivelmente energéticas em galáxias distantes. De acordo com a agência espacial norte-americana, as rajadas de curta duração são a forma mais energética de luz e podem durar de meros milissegundos a horas, em qualquer lugar.

Para os astrônomos, os raios gama podem se originar de explosões de supernovas ou de colisões entre estrelas de nêutrons, os densos remanescentes de supernovas. Swift foi enviado para observar e estudar esses fenômenos brilhantes, que os cientistas continuam trabalhando para entender.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!